[Revista PnP] Boletim nº 126 - Vai comprar peças para computador? Tome alguns cuidados!
Revista PnP
Mais útil que uma revista, mais atual que os livros!
Visite nosso site: www.revistapnp.com.br
Problemas de visualização desta mensagem? leia on-line
Ainda não conhece a Revista PnP? Venha conhecê-la e temos certeza de que gostará!
Boletim informativo nº 126 - 02/10/09
Prezado(a)

Em nosso boletim anterior, reunimos algumas dicas sobre o que verificar ao escolher componentes para computadores.
Complementando o assunto, agora que você já sabe o que comprar chegou a hora de ir às lojas, então vamos ajudá-lo:

Vai comprar peças para computador? Tome alguns cuidados!

Pelas características do mercado Brasileiro, você só terá acesso a um grande distribuidor se tiver firma aberta e comprar a partir de uma certa quantidade. Por isso é que a maioria dos componentes de informática são comercializados por pequenas empresas, sendo bem provável que você vai lidar com dois ou mais fornecedores, necessitando de critérios para escolher e saber lidar com eles.

Se você precisa comprar peças para computador e mora em São Paulo provavelmente vai se dirigir à região da Rua Santa Ifigênia ou, se for carioca, vai adquirir seus componentes em alguma das galerias do centro do Rio de Janeiro. Se você mora fora dos grandes centros precisará encomendar pela Internet ou por telefone e receber pelo Correio. Em qualquer um destes casos, será preciso muita atenção e dos cuidados básicos descritos a seguir:

Pesquisa – Monte uma lista de compras e faça uma pesquisa de preços. Consulte ao menos três fornecedores para saber qual é a média para cada item. Barganhe, peça desconto, garantia, melhor condição de pagamento e EXIJA um bom atendimento. Infelizmente ainda há vendedores que atendem como se estivessem fazendo um enorme favor para o comprador — fuja de estabelecimentos assim. Se na hora da compra o atendimento é ruim, quando você for reclamar de algo será pior ainda...

Idoneidade do vendedor – Antes de fechar negócio com um novo fornecedor procure conhecê-lo. Procure na Internet ou no PROCOM se existe algum problema. Peça referências, pergunte a quem já comprou se foi bem atendido. Veja há quanto tempo a empresa está no mercado, isto porque existem lojas que são verdadeiras armadilhas para os incautos, fazem um grande movimento e depois desaparecem sem deixar vestígios e deixando desamparados seus clientes.

Procedência – A esmagadora maioria dos componentes de informática é produzida no oriente, com exceção dos processadores que podem também ser produzidos nos EUA, no México e em outros países ocidentais. Nada contra os orientais, eles apenas fabricam de acordo com o pedido do freguês, justamente por isto os melhores e também os piores produtos são fabricados na China, na Tailândia, na Coréia ou em Taiwan. Para diminuir as chances de você ser enganado, procure comprar produtos “em box”, isto é, fuja de produtos sem embalagem original e sem os CDs de instalação. Os ditos produtos OEM, que vêm a granel dentro de grandes caixas, podem ser bons para as fábricas mas são péssimos para o comprador individual, pois são um campo aberto para as falsificações e malandragens de todo o tipo. Aliás, na hora em que lhe oferecerem algum produto, verifique se o componente é realmente o que consta na embalagem ou se é algo “maquiado” (vide adiante).

Com ou sem nota – Devido à alta tributação existente em nosso país, a maioria das lojas vende produtos sem emitir nota fiscal. Até porque muitos componentes entram no país de maneira ilegal, vindos do Paraguai ou usando artifícios no trâmite de importação. É claro que um estabelecimento que emite nota fiscal para os produtos vendidos vai ter um preço mais alto, mas em compensação você terá um documento legal e válido em caso de troca, reclamação ou garantia. Sempre que possível, exija nota fiscal do que está comprando e que a nota seja o mais completa possível, especificando claramente a marca e modelo do componente. Se houver número de série, faça com que ele conste na nota fiscal, se o vendedor não tiver esta facilidade anote você mesmo, na presença de um representante do fornecedor.

Etiquetas de garantia ou numero de série – Mesmo com a nota fiscal em mãos, é comum que os componentes de informática recebam uma etiqueta de identificação auto-destrutível. Esta etiqueta geralmente traz o nome do vendedor e a data de aquisição e serve para contar o prazo de garantia. O uso das etiquetas é um procedimento interessante, pois sem ele ficaria difícil saber quais itens estão ou não na garantia, pois não haveria outra forma de diferenciar uma peça da outra. Assim, no caso de componentes com número de série exija que este número conste na nota fiscal ou recibo de compra, caso não exista o número de série exija que o vendedor identifique cada componente com sua etiqueta. Assine a Revista PnP!

Condições da garantia – Por falar em garantia, há duas coisas que você precisa ficar bem atento ao escolher um fornecedor. Uma é a condição de troca, que veremos a seguir, a outra é o prazo de garantia e a documentação exigida. Em geral, pequenas lojas dão garantia de três meses para os componentes da CPU, mas os grandes distribuidores chegam a dar um ano e até mais. Itens como monitores e impressoras devem ter sido fabricados ou montados no Brasil, por isto exija a garantia original de fábrica que em geral é de 1 ano para troca imediata e mais dois anos para conserto gratuito. Verifique as condições para atendimento dentro da garantia: alguns fornecedores exijam que se leve a nota fiscal ou documento de compra e que o produto seja entregue na embalagem original, com todos os manuais, discos e acessórios, enquanto outros aceitam que se leve apenas o componente defeituoso. Este detalhe é muito importante principalmente para quem está longe do fornecedor, pois o envio do produto completo aumenta a despesa com o frete de ida e volta, que em geral fica por conta do comprador.

Condições para troca – Isto é muito importante, pois é na hora da troca que se conhece o bom fornecedor. Alguns exigem que o item defeituoso seja deixado para análise — o que pode demorar semanas — enquanto que outros trocam o componente no ato, que é o certo. Porque é o certo? Considere o seguinte: se o componente não apresenta qualquer dano físico aparente como riscos, quebras ou empenamentos, o que poderia indicar mau uso do produto, o vendedor tem por OBRIGAÇÃO troca a peça imediatamente, independente de qualquer teste. Porque? Simples: se o produto estiver em boas condições poderá ser revendido para outro cliente, enquanto que se o item estiver realmente defeituoso deveria ser trocado de qualquer maneira. Além disto, muitas vezes o componente está em perfeito estado, só que não é compatível com o conjunto. Isto é muito comum com memórias, muitas vezes elas não se adaptam à placa-mãe escolhida, mesmo estando em bom estado. Assim, se você notar que o vendedor impõe muitas restrições à troca de componentes não hesite: procure outra loja. É só assim que livraremos o mercado de gente que não sabe trabalhar ou que são desonestos.

Analise o produto – No ato da compra, ao receber o material, analise cuidadosamente cada peça procurando por defeitos. Nas MBs e outras placas, recuse peças que estejam empenados ou que tenham riscos e outros defeitos de acabamento, o que denotaria fabricação ou manuseio descuidado. Veja se as peças têm as etiquetas de identificação do vendedor e se elas não foram substituídas ou remarcadas, o que significa que já tinham sido vendidas para alguém e retornaram por algum motivo. Procure pegar apenas peças que estejam em sua embalagem original, evitando itens embrulhados em plástico-bolha ou fornecidos sem qualquer proteção.

Não se engane, seja esperto - as falsificações são normais num país como o Brasil, com uma população tão carente, com pouca educação e tão próximo de vizinhos suspeitos como o Paraguai e outros “hermanos”. Difícil é o produto de certo renome que não tenha suas falsificações. Por exemplo, as mídias de CD e DVD que você encontra por aí nas galerias e pequenos boxes das grandes cidades são falsificadas, mesmo que tenham vistosas etiquetas de grandes fabricantes como LG, HP e Philips. Uma mídia original destes fabricantes custa pelo menos 3 vezes mais caro do que seus correspondentes “genéricos”. E mesmo que o comerciante faça questão de ter o produto original, ele mesmo poderá estar sendo vítima de falsificação. Afinal, a esmagadora maioria dos produtos de informática são feitos na China, o que eles fazem, com a maior “cara de pau”, é simplesmente mudar a etiqueta de um lote original para outro “alternativo”... Assim, conforme falamos acima, escolha a dedo seus fornecedores e desconfie de preços muito abaixo do que a média do mercado, e simplesmente rejeite produtos que vêm fora da embalagem original ou com etiquetas e acabamento grosseiro. Estes têm uma grande chance de serem falsificações, contrabando ou, na melhor das hipóteses, produtos de segunda linha ou de lotes que foram rejeitados no controle de qualidade da linha de produção ou, ainda, produtos do tipo “refurbished”, isto é, que foram vendidos e devolvidos pelo comprador porque tinham algum defeito. Estes componentes ou aparelhos são posteriormente consertados e colocados de novo no mercado, só que os fabricantes honestos indicam que são reformados e os vendem mais barato, mas os vendedores desonestos vendem estes produtos “refurbished” como se fossem novinhos em folha. Tenha cuidado, por isso é que dizemos ser preciso conhecer bem o fornecedor e ter boas referências do mesmo.

EM RESUMO...

A montagem ou upgrade de um micro começa na hora em que determinamos para o que ele vai servir e termina apenas quando ele está funcionando e atendendo às expectativas, o que deve acontecer ao longo de vários anos. Para tanto, é de suma importância que cada componente seja escolhido cuidadosamente e adquirido com toda a atenção. Não se afobe e não caia em conversa fiada de vendedor, procure informar-se sobre os componentes e os fornecedores, analise cuidadosamente as ofertas recebidas e temos a certeza de que você vai ficar muito feliz com seu novo micro ou com a reforma que estiver fazendo em seu “velhinho”.

Leia este artigo na íntegra no site da Revista PnP: Vai comprar peças para computador? Tome alguns cuidados!

ARTIGOS SOBRE MONTAGEM DE MICROS DA REVISTA PnP
Na Revista PnP nº 11 começamos uma série especial de artigos sobre a montagem de computadores. Na citada edição 11 trouxemos os dois primeiros artigos da série:
1 — Comprar ou montar: esta é a questão (publicado na edição 11)
2 — Escolhendo e comprando os componentes (publicado na edição 11)

Na Revista PnP nº 12 estão os demais artigos, numerados de 3 a 7:
3 — Cuidados ao manusear as peças dos computadores
4 — Montagem passo-a-passo
5 — Configuração do BIOS
6 — Fazendo os primeiros testes
7 — Particionamento do HD e instalação do Windows

Talvez você se interesse também pelos seguintes artigos sobre MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES publicados na Revista PnP:

LANÇAMENTO • NOVA • LANÇAMENTO • NOVA • LANÇAMENTO • NOVA
A mais recente edição da Revista PnP já está nas melhores bancas de todo o Brasil, sendo possível também encomendá-la e assiná-la pela internet:

Revista PnP nº 14
Clonagem de HDs e Instalação Automática do Windows

Destaque para três importantes tutoriais passo-a-passo contendo:
  • Clonagem de HDs - Tudo o que você precisa saber para clonar discos com perfeição
  • Virtualização na prática com Ubuntu e Windows 7 rodando no VirtualBox - O básico da virtualização, passo-a-passo
  • Como personalizar o CD/DVD do instalador do Windows - Chega de perder tempo! Faça tudo de uma só vez
Esta edição contêm outros assuntos igualmente interessantes:
  • Sistemas de banco de dados para microcomputadores - Dicas práticas para lidar com programas administrativos
  • A difícil relação entre técnico e cliente - Relato de vários casos reais. Você vai se “enxergar” neles!
  • Profissão: o que é que realmente faz a diferença ? - Reflexão sobre o que é que traz o sucesso para alguns e não para outros
  • Correio Técnico - Tradicional seção, com as dúvidas mais interessantes dos leitores
Revista PnP nº 14 em um clique:
Mais informações sobre a Revista PnP nº 14 - Clonagem de HDs
Comprar exemplar avulso
Comprar pacote promocional edições 9 a 14 (de R$ 93,40 por 84,00)
Ver todos os pacotes promocionais
Assinar a Revista PnP (com 10% de desconto)
NAS BANCAS — NAS BANCAS — NAS BANCAS — NAS BANCAS — NAS BANCAS

Revista PnP nº 6
Técnicas de Backup e Discos de Boot

Continuando nossos relançamentos, agora é a vez da edição 6 retornar às bancas.
Esta pode ser uma oportunidade de conhecer pessoalmente esta edição, caso ainda não conheça.


Em destaque nesta edição estão as Técnicas de backup, tão importantes não só para para as empresas mas para todo mundo que usa computador. Traz também um extenso artigo sobre sobre discos de boot, em vários tipos de mídia -- disquetes, pendrives, CDs e DVDs, inclusive com um interessante tutorial para transformar o CD de instalação do Windows XP em um DVD com outros instaladores como do Office, antivirus e outros.
• Técnicas de backup
• Discos de boot - faça você mesmo!
• Monte e administre sua própria oficina de assistência técnica
• Instalações elétricas prediais para técnicos de informática
• Guia de processadores para 2008 (e anos seguintes...)
• 13 coisas tolas que as pessoas fazem em seus PCs (e que os técnicos de manutenção adoram...)
• Os técnicos de informática e a sociedade

Revista PnP nº 6 em um clique:
Mais informações sobre a Revista PnP nº 6 - Técnicas de backup
Comprar exemplar avulso
Comprar pacote promocional edições 1 a 6 (de R$ 80,40 por 72,00)
Comprar pacote promocional edições 6 a 11 (de R$ 90,40 por 81,00)
Ver todos os pacotes promocionais
Assinar a Revista PnP (com 10% de desconto)