[Revista PnP] Boletim nº 84 - Qual é o problema da informática nos concursos públicos?
Revista PnP
Mais útil que uma revista, mais atual que os livros!
Visite nosso site: www.revistapnp.com.br
Problemas de visualização desta mensagem? leia on-line

Boletim informativo nº 84 - 28/11/08
Prezado(a)

Os concursos públicos viraram febre, parece que todo brasileiro quer virar funcionário público ou trabalhar em uma empresa estatal.
O interessante, para nós, é que a maioria das provas exige conhecimentos de informática.
Mas que tipo de conhecimento exatamente é exigido? Será que esta exigência está de acordo com a função pretendida? Veja estes exemplos e pergunte-se também:

Qual é o problema da informática nos concursos públicos?

Nunca houve tanta gente prestando concursos públicos no Brasil. Bem, talvez nunca tenha havido um governo tão socializante quanto o atual, mas esta é uma outra história. O fato é que milhares e milhares de pessoas fazem seus cursos, estudam em casa e se inscrevem em todos os concursos em que acham que têm ao menos alguma pequena chance de serem aprovados. As vagas são poucas e a concorrência feroz.

Muitos dos concursos exigem conhecimentos de informática, mesmo para cargos que não lidam diretamente com equipamentos ou sistemas. Nada mais natural, pois hoje em dia até para ser motorista precisa saber lidar com GPS, celulares, handhelds e outras parafernálias eletrônicas computadorizadas.

O que dizer, então, de quem está prestando concurso onde vai trabalhar o dia inteiro na frente de um computador? Por exemplo, quem se escreve para escriturário numa repartição pública, vai operar seu Windows e Office, além de navegar na internet e lidar com e-mails. Ao mesmo tempo, quem se candidata a um cargo na área técnica deveria entender de protocolos, hardware e software. Parece lógico, não é mesmo?

Fazemos esta pergunta porque temos estranhado o tipo das assunto. Ao invés de perguntas práticas, aquelas que só quem conhece realmente o assunto vai saber responder, são feitas perguntas teóricas ou generalistas demais, coisas que só se encontra em livros de história ou de introdução ao assunto. Quer um exemplo disto?

Vamos lá então: no concurso para provimento de cargos de Analista Judiciário para o Tribunal Regional do Trabalho, feito em novembro de 2008, caiu esta questão:

O protocolo mais comum utilizado para dar suporte ao correio eletrônico é o:
(A) FTP
(B) HTTP
(C) NTFS
(D) SMTP
(E) SNMP

Veja esta outra, no mesmo concurso:

Começa a executar a partir da ROM quando o hardware é ligado. Exerce a função de identificar o dispositivo do sistema a ser inicializado para, em última instância, executar o carregador de boot. Este enunciado define
(A) o sistema operacional
(B) o kernel
(C) o BIOS
(D) o drive

Tem mais esta:
A configuração de rede mais adequada para conectar computadores de um pavimento, um estado e uma nação é, respectivamente:
(A) WAN, LAN, LAN.
(B) LAN, WAN, WAN.
(C) LAN, LAN, WAN.
(D) LAN, LAN, LAN.
(E) WAN, WAN, LAN.
(E) a RAM.

Experimente fazer estes testes. A resposta certa, segundo o concurso, seria respectivamente D, C e B.

O que você achou? Será que um candidato a técnico administrativo de uma repartição pública é melhor qualificado que outro porque sabe este tipo de coisa? Em que isto vai modificar sua habilidade para lidar com as situações trabalhistas?

E quando a coisa vai para o lado específico da informática, então, a coisa fica ainda mais surrealista. Tudo bem, são milhares de candidatos a serem separados, dos quais só uma meia dúzia vai ter o enorme privilégio de ocupar um disputadíssimo cargo público. Mas as coisas poderiam ser mais objetivas, até para fazer com que os candidatos realmente estudem para aprender, e não apenas para passar nos concursos, o que poderia aumentar o nível cultural do nosso povo e, em especial, dos técnicos de informática.

Veja estas questões feitas para o concurso de Analista de Sistemas Junior de uma fundação de pesquisa estatal:

Em uma arquitetura Cliente/Servidor, o servidor é muitas vezes denominado Back-end. No contexto da Internet, e dos serviços de redes, que utilizam a arquitetura Cliente/Servidor, o servidor pode receber também a designação de:
(A) answer.
(B) daemon.
(C) front-end.
(D) queue.
(E) resolver.

Mais uma da mesma prova:

Uma das funções do gerenciamento de memória em um sistema operacional típico é:
(A) assegurar proteção da memória, impedindo que um processo venha a utilizar endereços de memória que não lhe pertençam.
(B) organizar o uso da memória pelos programas, evitando que cada um tenha que ter o seu próprio espaço de endereçamento.
(C) otimizar o uso da memória cache, permitindo que vários programas a utilizem ao mesmo tempo.
(D) permitir que um programa possa acessar as áreas de outros programas, tornando o processamento mais dinâmico.
(E) recuperar as informações armazenadas em disco e transferi-las para a memória principal de forma ágil e segura.

As respostas para estas duas perguntas são, respectivamente, B e A.

Então, fica a pergunta no ar: será que testes assim realmente separam o melhor candidato para exercer o cargo? O que nos parece é que alguém pega determinado livro que serve de base para o concurso, extrai algumas perguntas dele, dá uma maquiada na pergunta para parecer mais difícil do que realmente o é, e faz a prova a partir daí.

O texto dos livros é importante? Claro que sim, mas trazem muita teoria que servem como cultura geral, mas pouco acrescentam ao exercício profissional de quem usa informática. Por isto é que nós, da Revista PnP, procuramos mostrar sempre o lado teórico como embasamento, mas logo em seguida já partimos para aspectos práticos da coisa. Se não fizermos assim, nossa revista poderia até ser utilizada como base para concursos públicos, o que seria uma honra, mas pouco acrescentaria para os leitores.

Se você tiver curiosidade de ver estas provas na íntegra, elas estão no site da Thecnica Sistemas.
Confira se você seria aprovado nestes concursos:

Concurso para Analista do Tribunal Regional do Trabalho 2008 (Ver gabarito)
Concurso para Analista de Sistemas Júnior da FAPESP 2008 (Ver gabarito)

• Leia este artigo na íntegra no site da Thecnica Sistemas:
Qual é o problema da informática nos concursos públicos?

NAS BANCAS — NAS BANCAS — NAS BANCAS — NAS BANCAS — NAS BANCAS


Revista PnP nº 10 continua nas bancas!

A mais recente edição da Revista PnP está nas bancas.
Você pode também pedir pela internet ou fazer uma assinatura.

Conteúdo da Revista PnP nº 10 – Defeitos mais comuns dos micros

  • Redes P2P de compartilhamento de arquivos
  • Formas de implantação de redes
  • Os 10 defeitos mais comuns dos micros
  • Erros de tela azul do Windows
  • Sistema RAID
  • Montando um sistema RAID no Windows
  • Aprendendo a usar o multímetro
  • Aprendendo a usar o multímetro
  • Inglês, informática e trabalho em equipe são requisitos básicos

Veja mais detalhes no site da Thecnica Sistemas, inclusive com a reprodução das primeiras páginas de cada artigo:
Revista PnP nº 10 - Defeitos mais comuns dos micros

Natdisc
Recuperação de dados
ACR
Centro de treinamento
Amigo do HD
Recuperação de dados
Locasite
Hospedagem
Brasport
Livros técnicos
Informações sobre a revista PnP
Onde encontrar - A Revista PnP é distribuída nas bancas e grandes livrarias, em todas as capitais e nas principais cidades do interior. Se você não encontrar em sua região poderá encomendar para o jornaleiro ou então pedir seu exemplar pela Internet, no site da Thecnica Sistemas.
Assinaturas - Podem ser feitas a partir de qualquer edição. O novo assinante recebe imediatamente as edições já publicadas, cobertas pela assinatura, e as seguintes assim que forem impressas. O processo de assinatura é simples e pode ser feito aqui.
Edições avulsas - Todas as edições podem ser vistas e encomendadas no site da Thecnica Sistemas. Pagamento com boleto bancário e entrega pelo Correio.
Conteúdo das edições já lançadas - No site da revista encontra-se o conteúdo detalhado de tudo o que já foi publicado, inclusive com um PDF em alta resolução da primeira página de cada artigo.
Publicidade - Temos diversos planos, para atender sua empresa qualquer que seja o tamanho dela. Fazemos tanto mídia impressa quanto através da Internet, saiba mais.