[Revista PnP] Windows “genérico” é tão seguro quanto o original ? 
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco

Home   Edições impressas  
Edições digitais   CDs e DVDs  
Dicas técnicas   Como comprar  
Quer colaborar?   Sugira uma matéria  
Boletins   Como é feita a Revista PnP?  
Fale conosco   Serviços ao cliente  
Erratas   Sobre a Revista PnP...  
Perguntas mais frequentes (FAQ)  
Google

Você está aqui: Indeterminado
Artigo

Windows “genérico” é tão seguro quanto o original ?

Questão colocada pelo leitor


Estou começando agora na área da informática e não tenho dinheiro suficiente para comprar um micro na loja e acabo me virando com o que consigo. Monto meus próprios computadores com peças retiradas dos consertos que faço por aí, mas o grande problema mesmo é o Windows. Uma cópia original custa caro, e eu como técnico precisaria ter pelo menos uma de cada, ou seja, é muito dinheiro que ficaria parado e, além do mais, é uma quantia que não tenho no momento.

Assim, eu acabo me virando mesmo é com as versões “genéricas” do Windows que adquiro nos camelôs. Mas isto me deixa muito em dúvida. Supondo-se que eu tenha instalado em meu PC um sistema operacional “alternativo”, então eu gostaria de saber se o sistema de segurança como, por exemplo, o firewall entre outros mecanismos de segurança funcionam de forma eficaz contra as ameaças virtuais. Eu sei que software genérico não é um boa opção, mas quero tirar as minhas dúvidas.


Nossa respostaNo caso de um sistema operacional “genérico” como uma cópia pirateada de Windows não dá para saber o que acontece em termos de atualização e de segurança. A maioria dos Windows que andam por aí nos camelôs ou nos sites de download já foram muito modificados por alguém, sabe-se lá porque, e podem conter diversas vulnerabilidades ou coisas que não funcionam. As pessoas que criam estas versões alternativas podem ter outras intenções além de simplesmente desafiar a Microsoft ou resolver o quebra-cabeças que é a burla do sistema de ativação do Windows e do Office.

É simples de imaginar: alguém que tem conhecimento técnico suficiente para entender como funciona o sistema de ativação e modificá-lo para ativar uma cópia genérica, pode fazer o que quiser com o micro dos incautos que usarem seu sistema alternativo. Mas fazer o que, exatamente? Podem ser várias coisas, desde usar o micro para fazer ataques a outros micros e a sites, ou simplesmente para uma ação mais silenciosa como burlar os sistemas de segurança do Windows ou roubar senhas e números de cartão de crédito.

Para alguém que deseja mesmo ir para a pirataria, o jeito é conseguir uma copia dos discos originais, e modificar apenas a parte de ativação do produto. Fazendo assim obterá uma cópia fiel do Windows, tão bom quanto qualquer outra em termos de funcionamento. Mas devemos lembrar que mesmo que a cópia passe como autêntica no site da Microsoft ela continua sendo ilegal, estando o infrator sujeito às penas da lei o que é tão mais sério se for um usuário corporativo (empresa) que é muito mais fácil de fiscalizar.

Assim, o que recomendamos é que as pessoas que usam profissionalmente seus micros com Windows adquiram um micro já com o Windows original ou então que comprem uma licença original de Windows, até porque nem é tão caro assim. Pode-se encontrar boas promoções nas lojas especializadas, para pagar em 10 ou até mais vezes. Como o sistema operacional é a base do funcionamento do micro e, em especial, da sua segurança, é um investimento que vai se pagar tranquilamente ao longo dos anos que aquela cópia de software será usada.


Publicado em 28/12/2010 às 00:00 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

NOSSOS LEITORES JÁ FIZERAM 1 COMENTÁRIO sobre este artigo:
De: RNunes (em 29/12/2010 às 15:16 hs)
Concordo em parte
É muito difícil para um técnico de informática que trabalha com manutenção e instalação comprar todos os softwares de que precisa. Acaba tendo que se virar com os camelôs. Mas é verdade o que diz no texto, que o que mais tem por aí é software batizado (que nem whisky falsificado) que embute um monte de worms e outras tranqueiras no meio do programa.

Comente você também:

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da informática e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: leitor@revistapnp.com.br
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.