[Revista PnP] Notebooks e smartphones em alta. Seria o fim dos micros desktop? 
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco

Home   Edições impressas  
Edições digitais   CDs e DVDs  
Dicas técnicas   Como comprar  
Quer colaborar?   Sugira uma matéria  
Boletins   Como é feita a Revista PnP?  
Fale conosco   Serviços ao cliente  
Erratas   Sobre a Revista PnP...  
Perguntas mais frequentes (FAQ)  
Cursos e eventos  
Google

Você está aqui: Indeterminado
Artigo

Notebooks e smartphones em alta. Seria o fim dos micros desktop?


Os profissionais que acompanham a imprensa especializada em informática devem estar preocupados. Quem lê as publicações líderes deste segmento só vê artigos sobre celulares poderosos que fazem um pouco de tudo e sobre micros portáteis, em diversos formatos: netbooks, notebooks, smartphones. Parece que o micro de mesa tradicional — o famoso “desktop” — está destinado a desaparecer. É como se a mobilidade do equipamento fosse mais importante que a usabilidade, os recursos e o conforto ao usar. Seria verdadeira esta situação? Ou será que estamos sendo direcionados a consumir produtos que nem sempre necessitamos, só porque isto “parece” estar na moda ou “parece” ser mais útil do que realmente o é?

Sem dúvida, é interessante ter um pequeno celular que, além de fazer ligações, possa também tirar fotos, tocar música, reproduzir vídeo e até mesmo para acessar a internet para ler emails e fazer operações bancárias. Para muitas pessoas o computador só serve mesmo para isto, logo um celular “esperto” destes pode ser tudo o que precisam, ainda mais porque desta forma podem usar estas funções em qualquer lugar onde estiverem. Muitos e muitos aparelhos estão sendo vendidos justamente por esta comodidade. Os micros portáteis não ficam para trás: além deles fazerem tudo isto ainda podem rodar um pacote de escritórios, ou seja, o onipresente MS-Office, além de fazer algumas coisinhas a mais.

Pois é, quem analisa esta situação apenas pelas notícias e artigos na imprensa e nos principais sites pode chegar à conclusão de que o antigo micro de mesa está destinado a acabar em algum museu. Entretanto, quem pensa assim talvez não tenha analisado o enorme avanço que houve também nos micros de mesa.

Para começar, os processadores nunca foram tão poderosos. Nunca as memórias RAM foram tão acessíveis e muito menos se teve tanto espaço de armazenamento. Hoje em dia pode-se comprar um excelente computador de mesa com muitos terabytes no HD, uma imensidão de memória RAM e um processador super-rápido por um valor equivalente a um notebook básico, ou seja, a performance de um micro de mesa destes é infinitamente superior a um notebook de mesmo preço.

Como se não bastasse, houve a revolução dos monitores. Há quem se contente com as minúsculas telas dos celulares, com 1 ou 2 polegadas dos celulares, ou as telinhas de 12 ou 13 polegadas dos notebooks e suas letras microscópicas. Certo, existe a vantagem de poder estes aparelhos em qualquer lugar, mas quem já teve a oportunidade de navegar na internet ou assistir os vídeos do YouTube em um monitor de 22, 26 ou 32 polegadas já deve ter percebido que a experiência que se tem num equipamento destes é totalmente diferente de usar um smartphone ou um notebook.

As telonas para computador nunca foram tão baratas — e tão boas. As imagens vívidas saltam aos olhos, os vídeos mostram detalhes que não aparecem nas TVs, porque as placas de vídeo dos computadores são muito mais poderosas e detalhistas que uma imagem gerada por um canal de TV, mesmo que seja a cabo. Pode-se abrir vários programas simultaneamente, ficando todos visíveis. Um DVD assistido num PC com uma telona torna-se extremamente envolvente, principalmente se houver um sistema de som multicanal instalado no micro.

Aliás, esta é outra diferença: os smartphone ou notebook fornecerão no máximo um sonzinho fraco em estéreo (2 canais) enquanto que até mesmo os micros de mesa mais simples já vêm de fábrica com um sistema de som com pelo menos 4 canais e sub-woofer (5.1). É só ligar a saída do micro a um amplificador e caixas compatíveis, que custarão a partir de uns R$ 300, e teremos um som de boa qualidade, envolvente e detalhado, coisa que nenhum smartphone ou notebook baratinho vai oferecer.

Em resumo, o que provavelmente vai acontecer é que os smartphones e notebooks vão continuar crescendo no mercado, tornando-se ao mesmo tempo mais e mais poderosos e baratos. Só que os micros de mesa não ficarão parados. Pelo contrário, o Windows 7 de 64 bits rodando no hardware poderoso que existe hoje em dia, sendo apresentado num telão de muitas polegadas, vai propiciar o aparecimento de programas fantásticos até então só possíveis nos filmes de ficção científica, além de propiciar uma ótima sensação de uso já, de imediato, nos programas e sites que estamos usando neste exato momento.

Tudo indica que no futuro próximo teremos uma enorme variedade de dispositivos onde se poderá acessar a internet e tomar as mais variadas providências do dia-a-dia, mas o tamanho destes dispositivos poderá variar imensamente, indo de um pequeno celular que cabe no bolso da camisa a um enorme telão que permite ver até os defeitos na maquiagem dos artistas. Os técnicos de informática podem ficar tranqüilos, pois continuarão a vender e consertar PCs. Só que precisarão entender este novo mundo além de estudar outras áreas como a eletrônica e a programação Web, para abrirem o leque de serviços que podem oferecer para seus clientes e continuar a sobreviver de seu ofício.

Publicado em 05/07/2010 às 00:00 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da informática e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: leitor@revistapnp.com.br
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.