[Revista PnP] As 6 carreiras de TI mais promissoras para 2009 (e anos seguintes...) 
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco

Home   Edições impressas  
Edições digitais   CDs e DVDs  
Dicas técnicas   Como comprar  
Quer colaborar?   Sugira uma matéria  
Boletins   Como é feita a Revista PnP?  
Fale conosco   Serviços ao cliente  
Erratas   Sobre a Revista PnP...  
Perguntas mais frequentes (FAQ)  
Google

Você está aqui: Home » Artigos sobre Exercício Profissional
Artigo (veja mais 39 artigos nesta área)

As 6 carreiras de TI mais promissoras para 2009 (e anos seguintes...)

Por Iberê M. Campos equipe

Um novo ano se inicia, e desta vez num ambiente econômico muito particular. Cabe a cada um de nós tentar entender o que está acontecendo e direcionar seus esforços profissionais no rumo certo, para não investir em atividades sem futuro. É por isto que resolvemos mostrar a situação de diversas carreiras para as quais haverá mais demanda em 2009 e nos anos à frente.

O problema econômico dos Estados Unidos desestabilizou toda a economia mundial. Não obstante, a economia brasileira continuará crescendo, mais lentamente porém firme e forte. Claro que alguns setores sofrem mais que outros, porém o ramo de informática continuará sendo prioridade em todas as empresas que pretendem não apenas passar este momento de crise, mas também preparar-se para o futuro. Empresa bem sucedida será aquela que melhor conseguir coordenar, através da informática, seus setores de desenvolvimento de produtos, produção, financeiro, vendas, e marketing. Neste quadro, existem algumas especializações na informática que serão mais requisitadas e melhor pagas que outras. Veja quais especialistas terão mais oportunidades em 2009, segundo especialistas internacionais, acompanhe:

1 • Designer de games – Trabalha na criação de jogos para diferentes plataformas, entre elas os consoles, Pcs, celulares e todo tipo de dispositivo móvel. Há muita procura para designers de games, para diversos tipos de habilidades e experiências pessoais. Por exemplo, os “Level Designers” trabalham com ferramentas criadas pela própria empresa de games, para desenhar e popular os diversos níveis de um jogo. Os “Systems Designers” escrevem o código-fonte que são o cérebro de um jogo. Os “Lead” ou “Senior Designers” gerenciam os membros de uma equipe de desenvolvedores, além de manter a documentação dos projetos em relação a tudo: enredo do jogo, artes e códigos usados para criá-lo. Os times de desenvolvimento de jogos também incluem posições mais tradicionais como diretores de arte, engenheiros de software e gerentes comerciais.

2 • Gerente de TI – Os gerentes de sistemas de computação dirigem o trabalho dos analistas de sistema, programadores, especialistas de suporte e outros profissionais do ramo. Estes gerentes planejam e coordenam a instalação e atualização do hardware e software, além do design e desenvolvimento de programas e do projeto e implantação de sistemas de redes, internet e intranet. Estão cada vez mais envolvidos com a manutenção e segurança das redes. Analisam as informações nos computadores de seus empregadores para determinar necessidades imediatas ou de longo prazo em termos de pessoal, softwares e equipamentos. Precisam estar tentos ao trabalho de seus subordinados e manter-se a par do que está acontecendo no mercado de equipamentos, programas e tecnologias do setor, mas assegurar que sua organização não fique para trás em relação aos competidores.

3 • Desenvolvedor para Web – É o responsável pelo funcionamento dos sites e dos serviços acessíveis pela internet. Não confundir com o Web Designer, que cria apenas o visual, pois o desenvolvedor lida com HTML, ASP, PHP, SQL e outras especializações técnicas, enquanto que o Web Designer lida mais com o estilo, a navegação e “sentimento” geral do site e dos serviços por ele oferecidos. Os projetos cuidados pelos Desenvolvedores para Web variam muito, indo desde páginas com alguma programação até programas complexos que rodam pela internet, como sites de e-commerce e sistemas de administração empresarial.

4 • Administrador de banco de dados – Lidam com os sistemas de gerenciamento dos bancos de dados e determinam as melhores maneiras de armazenar e consultar as informações, visando segurança, velocidade e confiabilidade. Identificam as necessidades dos usuários e dos projetos, e como acomodar tudo isto dentro de sistemas novos ou antigos. Em muitos casos, precisam importar dados vindos de outros sistemas para projetos já existentes ou que estejam sendo criados. Também testam e coordenam modificações, quando necessárias, e resolvem os problemas que podem surgir eventualmente. Como muitos bancos de dados estão conectados à internet, os administradores precisam coordenar medidas de segurança junto aos administradores das redes. Devido ao grande volume de dados importantes sendo gerados e à crescente interconectividade dos computadores, fatores como integridade dos dados, sistemas de backup e segurança se tornam cada vez mais importantes partes do trabalho dos administradores de bancos de dados.

5 • Engenheiros de software – Analisam as necessidades dos usuários para poder desenhar, construir, testar e manter programas de computador. Também resolvem problemas técnicos quando estes são detectados. O engenheiro de software pode estar envolvido no design e desenvolvimento de vários tipos de software, incluindo sistemas operacionais, drivers de dispositivo, sistemas de rede, compiladores e conversores de programas de uma plataforma para outra. Engenheiros especializados em programas constroem e mantêm aplicativos direto para os usuários dos computadores ou fazem utilitários para eles, enquanto que os engenheiros de sistemas coordenam a construção e manutenção de todo um sistema corporativo informatizado, inclusive planejando seu crescimento para o futuro.

6 • Analista de sistemas – Resolvem os problemas dos computadores e aplicam a tecnologia da informação para resolver problemas de informatização de pessoas físicas ou das empresas. Ajudam uma organização a conseguir o máximo de benefícios do capital investido em equipamentos, pessoal e sistemas. Os analistas de sistemas podem planejar e desenvolver novos sistemas informatizados ou descobrir meios de aplicar melhor os recursos existentes. Podem desenhar sistemas a serem construídos, integrando hardware e software, ou adicionar uma nova função para aumentar a utilização de um parque de máquinas já instalado. Muitos analistas se especializam em determinados tipos de sistema, por exemplo, de e-commerce, contabilidade, videolocadoras ou sistemas científicos de engenharia. Os analistas de sistemas também são conhecidos como “desenvolvedor de sistemas” ou “arquiteto de sistema”.

A situação destas carreiras no Brasil — muito cuidado!

A situação acima é válida no contexto internacional. Dentro de certas medidas, também vale para o Brasil de 2009 mas devemos fazer as devidas correções. Aqui a economia informal é forte e existem muitos profissionais que estão desempregados porque não têm as devidas qualificações.

Como conseqüência, várias destas especialidades são sub-valorizadas e muito, muito mal pagas. Um exemplo típico: os “Desenvolvedores para a Web” são freqüentemente confundidos com os “Web Designers” e estes, por sua vez, são confundidos com alguns “fazedores de sites” amadores. Acontece que muitos contratantes pensam que “fazer um site” é pegar um “programinha” qualquer e desenhar algumas “pagininhas” para colocar na internet. Estes mal informados colocam tudo no mesmo saco, e o pobre do Desenvolvedor Web é forçado, para sobreviver, a fazer sites complexos, com programação, painel de controle e sistema de banco de dados pelo mesmo preço de um site básico que algum sobrinho ou vizinho do contratante faria para ele depois de concluir um curso de algumas horas.

Felizmente, no Brasil existem empresas que contratam e pagam um valor relativamente justo para os profissionais que se capacitarem para as funções aqui mostradas. É questão de você se preparar e ir à luta. Os empregos existem, é preciso apenas estar à altura deles e não “dormir no ponto”. Claro, sempre resta a opção de trabalhar por conta própria, mas neste caso as funções acima tendem a não serem remuneradas com dignidade. Aliás, a este respeito, vide a seção “Opinião” da Revista PnP nº 11, onde discutimos este tema no artigo “Entrar para o serviço público ou trabalhar por conta? ”.

Publicado em 02/01/2009 às 00:00 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 39 ARTIGOS SOBRE EXERCíCIO PROFISSIONAL:
O futuro dos técnicos de informática: adaptar-se ou desaparecer
Começar cedo na carreira de informática é sinal de competência?
Dúvidas sobre montagem de assistência técnica de informática
Cliente não deixa retirar computador para manutenção. E agora?
Cliente quer que o técnico faça coisas impossíveis. Como fica essa situação?
Como recolocar os programas que estavam no micro antes da formatação e reinstalação do Windows?
Qual é o valor da minha hora-técnica? Como calculo isso?
Dúvida sobre como cobrar trabalhos de informática feitos para pessoas físicas
Que dicas poderíamos dar para um técnico de informática iniciante?
Quanto cobrar para definir e instalar um novo servidor
Qual é o melhor curso: ciência da computação, sistemas de informação ou engenharia de computação?
O técnico deve cobrar taxa de visita? E como lidar com os clientes que não pagam?
Supere a dificuldade de falar em público
Dicas para ter uma oficina de informática lucrativa
Com lidar com um chefe (ou cliente) chato?
Qual é a garantia que o técnico deve dar para troca de fonte e reformatação do HD?
O técnico de informática e a questão das cópias piratas de software
É melhor ser empregado ou ter o próprio negócio de informática ?
Férias? Oba, é hora de investir na carreira.
O Windows deveria ser banido dos concursos públicos em favor do Linux?
As coisas mudaram: pode parar de procurar “emprego”. E comece a procurar “clientes”!
As bogagens tecnológicas mais famosas... dos famosos
Quanto cobrar de mão-de-obra para migrar de Windows para Linux
Qual é a garantia da mão-de-obra para remoção de virus?
Quanto ganham os profissionais de informática na Grande São Paulo
Quer mudar de profissão? Cuidado com os enganos mais comuns!
Os maiores enganos cometidos pelos gerentes de informática
A recessão bateu na minha porta. Será a hora para mudar de emprego?
Qual é o problema da informática nos concursos públicos?
Blu-ray está em queda livre. Como ficam os consumidores?
A questão da velocidade e performance dos discos rígidos
Windows versus Linux: mesmo Custo de Propriedade em países emergentes, segundo a Microsoft
Mãos a obra – crise é sinônimo de oportunidade
Emprego e carreira: curso técnico é o caminho mais curto para o sucesso
A questão do emprego versus faculdade versus sucesso profissional
Mercado de trabalho do profissional de TI é ruim?
Será que é justo o que estou ganhando aqui no Brasil? Veja uma pesquisa internacional de salários.
Construa sua Marca Pessoal! Seja diferente e fature com isto
A mudança na lei daria mais importância à profissão de técnico de informática?

 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da informática e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: leitor@revistapnp.com.br
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.