[Revista PnP] Qual é o problema da informática nos concursos públicos? 
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco

Home   Edições impressas  
Edições digitais   CDs e DVDs  
Dicas técnicas   Como comprar  
Quer colaborar?   Sugira uma matéria  
Boletins   Como é feita a Revista PnP?  
Fale conosco   Serviços ao cliente  
Erratas   Sobre a Revista PnP...  
Perguntas mais frequentes (FAQ)  
Google

Você está aqui: Home » Artigos sobre Exercício Profissional
Artigo (veja mais 39 artigos nesta área)

Qual é o problema da informática nos concursos públicos?

Os concursos públicos viraram febre, parece que todo brasileiro quer virar funcionário público ou trabalhar em uma grande empresa estatal. A maioria das provas exige conhecimentos de informática. Mas que tipo de conhecimento exatamente é exigido? Será que esta exigência está de acordo com a função pretendida? Veja estes exemplos e julgue por si mesmo...

Nunca houve tanta gente prestando concursos públicos no Brasil. Bem, talvez nunca tenha havido um governo tão socializante quanto o atual, mas esta é uma outra história. O fato é que milhares e milhares de pessoas fazem seus cursos, estudam em casa e se inscrevem em todos os concursos em que acham que têm ao menos alguma pequena chance de serem aprovados. As vagas são poucas e a concorrência feroz.

Muitos dos concursos exigem conhecimentos de informática, mesmo para cargos que não lidam diretamente com equipamentos ou sistemas. Nada mais natural, pois hoje em dia até para ser motorista precisa saber lidar com GPS, handhelds e outras parafernálias eletrônicas computadorizadas.

O que dizer, então, de quem está prestando concurso onde vai trabalhar o dia inteiro na frente de um computador? Por exemplo, quem se escreve para escriturário numa repartição pública, vai operar seu Windows e Office, além de navegar na internet e lidar com e-mails. Ao mesmo tempo, quem se candidata a um cargo na área técnica deveria entender de protocolos, hardware e software. Parece lógico, não é mesmo?

Com diferentes nuances, a informática está presente em quase todos os concursos. O que temos estranhado é o tipo de perguntas. Ao invés de perguntar coisas práticas, que só quem conhece realmente o assunto vai saber responder, são feitas perguntas teóricas ou generalistas demais, coisas que só se encontra em livros de história ou de introdução ao assunto. Quer um exemplo disto?

Vamos lá então: no concurso para provimento de cargos de Analista Judiciário para o Tribunal Regional do Trabalho, feito em novembro de 2008, caiu esta questão:

O protocolo mais comum utilizado para dar suporte ao correio eletrônico é o: (A) FTP (B) HTTP (C) NTFS (D) SMTP (E) SNMP

Veja esta outra, no mesmo concurso:

Começa a executar a partir da ROM quando o hardware é ligado. Exerce a função de identificar o dispositivo do sistema a ser inicializado para, em última instância, executar o carregador de boot. Este enunciado define (A) o sistema operacional (B) o kernel (C) o BIOS (D) o drive

Tem mais esta:

A configuração de rede mais adequada para conectar computadores de − um pavimento − um estado − uma nação é, respectivamente: (A) WAN, LAN, LAN. (B) LAN, WAN, WAN. (C) LAN, LAN, WAN. (D) LAN, LAN, LAN. (E) WAN, WAN, LAN. (E) a RAM.

Experimente fazer estes testes. A resposta certa, segundo o concurso, seria respectivamente D, C e B.

O que você achou? Será que um candidato a técnico administrativo de uma repartição pública é melhor qualificado que outro porque sabe este tipo de coisa? Em que isto vai modificar sua habilidade para lidar com as situações trabalhistas?

E quando a coisa vai para o lado específico da informática, então, a coisa fica ainda mais surrealista. Tudo bem, são milhares de candidatos a serem separados, dos quais só uma meia dúzia vai ter o enorme privilégio de ocupar um disputadíssimo cargo público. Mas as coisas poderiam ser mais objetivas, até para fazer com que os candidatos realmente estudem para aprender, e não apenas para passar nos concursos, o que aumentaria sobremaneira o nível cultural do nosso povo e, em especial, dos técnicos de informática.

Veja por exemplo estas questões feitas para o concurso de Analista de Sistemas Junior de uma fundação de pesquisa estatal:

Em uma arquitetura Cliente/Servidor, o servidor é muitas vezes denominado Back-end. No contexto da Internet, e dos serviços de redes, que utilizam a arquitetura Cliente/Servidor, o servidor pode receber também a designação de: (A) answer. (B) daemon. (C) front-end. (D) queue. (E) resolver.

Mais uma da mesma prova:

Uma das funções do gerenciamento de memória em um sistema operacional típico é: (A) assegurar proteção da memória, impedindo que um processo venha a utilizar endereços de memória que não lhe pertençam. (B) organizar o uso da memória pelos programas, evitando que cada um tenha que ter o seu próprio espaço de endereçamento. (C) otimizar o uso da memória cache, permitindo que vários programas a utilizem ao mesmo tempo. (D) permitir que um programa possa acessar as áreas de outros programas, tornando o processamento mais dinâmico. (E) recuperar as informações armazenadas em disco e transferi-las para a memória principal de forma ágil e segura.

As respostas para estas duas perguntas são, respectivamente, B e A.

Então, fica a pergunta no ar: será que um teste destes realmente separa o melhor candidato para exercer o cargo? Não seria melhor perguntar coisas mais práticas como, por exemplo, como se monta uma tabela no Word, para o caso dos escriturários, ou qual é a diferença entre uma memória SDRAM e uma DDR2, no caso dos concursos para técnicos de informática?

O que nos parece é que alguém pega um livro que serve de base para o concurso, extrai umas perguntas ao acaso, dá uma maquiada na pergunta para parecer mais difícil do que realmente o é e vai montando a prova assim. Ou seja: o importante é o candidato conhecer o texto dos livros, e não a profissão em si.

Ainda segundo nossa impressão, parece que quem formula estas questões não são exatamente da área de informática, mas algum professor de português ou outra disciplina, mas que não entende muito de informática e não quer se aventurar em questões práticas que, como dissemos, só mesmo quem trabalha com isto vai saber.

O texto dos livros é importante? Claro que sim, mas trazem muita teoria que servem como cultura geral, mas pouco acrescentam ao exercício profissional de quem usa informática. Por isto é que nós, da Revista PnP, procuramos mostrar sempre o lado teórico como embasamento, mas logo em seguida já partimos para aspectos práticos da coisa. Se não fizermos assim, nossa revista poderia até ser utilizada como base para concursos públicos, o que seria uma honra, mas pouco acrescentaria para os leitores.

Se você tiver curiosidade de ver estas provas na íntegra, elas estão no site da Thecnica Sistemas, veja se você conseguiria ser aprovado nestes concursos:

Concurso para Analista do Tribunal Regional do Trabalho 2008 (Ver gabarito)

Concurso_Tribunal_Trabalho 2008 (Ver gabarito)

Publicado em 15/11/2008 às 00:00 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 39 ARTIGOS SOBRE EXERCíCIO PROFISSIONAL:
O futuro dos técnicos de informática: adaptar-se ou desaparecer
Começar cedo na carreira de informática é sinal de competência?
Dúvidas sobre montagem de assistência técnica de informática
Cliente não deixa retirar computador para manutenção. E agora?
Cliente quer que o técnico faça coisas impossíveis. Como fica essa situação?
Como recolocar os programas que estavam no micro antes da formatação e reinstalação do Windows?
Qual é o valor da minha hora-técnica? Como calculo isso?
Dúvida sobre como cobrar trabalhos de informática feitos para pessoas físicas
Que dicas poderíamos dar para um técnico de informática iniciante?
Quanto cobrar para definir e instalar um novo servidor
Qual é o melhor curso: ciência da computação, sistemas de informação ou engenharia de computação?
O técnico deve cobrar taxa de visita? E como lidar com os clientes que não pagam?
Supere a dificuldade de falar em público
Dicas para ter uma oficina de informática lucrativa
Com lidar com um chefe (ou cliente) chato?
Qual é a garantia que o técnico deve dar para troca de fonte e reformatação do HD?
O técnico de informática e a questão das cópias piratas de software
É melhor ser empregado ou ter o próprio negócio de informática ?
Férias? Oba, é hora de investir na carreira.
O Windows deveria ser banido dos concursos públicos em favor do Linux?
As coisas mudaram: pode parar de procurar “emprego”. E comece a procurar “clientes”!
As bogagens tecnológicas mais famosas... dos famosos
Quanto cobrar de mão-de-obra para migrar de Windows para Linux
Qual é a garantia da mão-de-obra para remoção de virus?
Quanto ganham os profissionais de informática na Grande São Paulo
Quer mudar de profissão? Cuidado com os enganos mais comuns!
Os maiores enganos cometidos pelos gerentes de informática
A recessão bateu na minha porta. Será a hora para mudar de emprego?
As 6 carreiras de TI mais promissoras para 2009 (e anos seguintes...)
Blu-ray está em queda livre. Como ficam os consumidores?
A questão da velocidade e performance dos discos rígidos
Windows versus Linux: mesmo Custo de Propriedade em países emergentes, segundo a Microsoft
Mãos a obra – crise é sinônimo de oportunidade
Emprego e carreira: curso técnico é o caminho mais curto para o sucesso
A questão do emprego versus faculdade versus sucesso profissional
Mercado de trabalho do profissional de TI é ruim?
Será que é justo o que estou ganhando aqui no Brasil? Veja uma pesquisa internacional de salários.
Construa sua Marca Pessoal! Seja diferente e fature com isto
A mudança na lei daria mais importância à profissão de técnico de informática?

 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da informática e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: leitor@revistapnp.com.br
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.