[Revista PnP] O que devo observar ao escolher uma placa de vídeo para compra? 
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco

Home   Edições impressas  
Edições digitais   CDs e DVDs  
Dicas técnicas   Como comprar  
Quer colaborar?   Sugira uma matéria  
Boletins   Como é feita a Revista PnP?  
Fale conosco   Serviços ao cliente  
Erratas   Sobre a Revista PnP...  
Perguntas mais frequentes (FAQ)  
Google

Você está aqui: Home » Artigos sobre Hardware
Artigo (veja mais 49 artigos nesta área)

O que devo observar ao escolher uma placa de vídeo para compra?


Os adeptos dos games já sabem disto há anos mas só com o lançamento do Windows Vista e, depois, do Windows 7, é que ficou mais evidente a necessidade de prestar mais atenção à saída de vídeo nos PCs. Uma boa placa de vídeo off-board costuma ser obrigatória para os jogos, mas vai melhorar a performance do sistema como um todo também. Existem muitos modelos de adaptadores de vídeo e dá para achar boas ofertas que atendam a todos os orçamentos, desde que se tenha em mente algumas coisas básicas porém importantes.

Na maior parte dos casos, as pessoas que compram uma placa de vídeo off-board de boa qualidade para um micro que não tem uso profissional é para usá-la com jogos. Certamente, placas de boa qualidade vão proporcionar outros benefícios como reprodução ou codificação de vídeo e até mais agilidade para surfar na internet. Mas não nos enganemos: a principal razão para ter uma BOA (e cara) placa de vídeo e o principal motivo pelo qual o mercado de adaptadores gráficos é tão forte são os jogos e quando se trata de atender aos “viciados” em games os adaptadores de vídeo integrados à placa-mãe simplesmente não atenderão à demanda.

A verdade nua e crua por trás da escolha de uma boa placa de vídeo pode ser resumida em quatro palavras: quanto mais caro, melhor. Num mercado tão competitivo quanto este os fabricantes tentam diminuir ao máximo o preço de seus produtos, por isto se uma placa de vídeo é mais cara que outra deve haver outro motivo que não seja a ganância por lucro. De maneira geral, se você gastar R$ 1.000 numa placa de vídeo ela provavelmente vai representar mais velocidade e prazer de jogar do que uma placa equivalente que custe R$ 700, a não ser que a placa mais barata seja de uma geração mais atual e, portanto, mais eficiente. Fora disto, a placa mais cara deve ser melhor.

O preço das placas de vídeo é tão importante que faz lembrar uma frase famosa de um comediante:
— “Tenho mais de um motivo para não comprar um carro de luxo: o primeiro é que eu não tenho dinheiro, os outros motivos não interessam”
Só que, no caso das placas de vídeo, além do fator preço, que é o principal, ainda existem outras coisas a serem consideradas. Elas podem ser secundárias mas ajudam a achar um melhor balanço entre a quantia gasta e as suas necessidades, seja para um micro com vídeo onboard ou para uma ótima placa off-board. Acompanhe:

AMD or Nvidia?

Já houve um tempo em que havia muitos fabricantes de chips para placas de vídeo, mas hoje em dia a competição se resumiu a estas duas empresas. A Intel tenta há anos entrar neste seleto grupo, e a mais recente investida veio com a linha de processadores da série Core (vide artigo sobre processadores Intel na Revista PnP nº 18) mas ainda está longe de ser um competidor à altura da AMD ou Nvidia quando se fala em jogos.

A boa notícia é que, na opinião média de diversos especialistas que pesquisamos, hoje em dia não fará muita diferença se você optar entre AMD ou Nvidia. Aliás, esta briga lembra muito outras disputas famosas como processadores AMD X Intel, VHS X Betamax, HD-DVD versus Blu-ray, Windows X Mac ou Desktop X Notebook, ou seja, são questões que inspiram debates acalorados mas que tendem a ficar sem sentido à medida em cada uma das partes vai aprofundando seus motivos. Assim, não devemos nos enganar: atualmente não existe diferença substancial nas tecnologias empregadas nos chips gráficos da AMD e da Nvidia, a não ser que você seja realmente crítico, conheça a fundo as duas tecnologias e esteja em busca de um resultado específico.

Só mesmo um gamemaníaco sério e que se fixa nos detalhes é que conseguirá perceber diferenças entre um mesmo jogo rodando numa placa AMD ou numa Nvidia. A maioria dos demais usuários vão prestar mais atenção ao quão realista a imagem lhes parece e como o sistema responde ao jogar, e não a detalhes técnicos como anti-aliasing, processamento físico e capacidades de usar vários monitores. Assim, se você achar uma placa de vídeo cujo preço caiba dentro do seu orçamento e os testes feitos por organizações nacionais e internacionais digam que a placa é boa, então fique com ela.

Atenção: é importante saber que a ATI (fabricante de chips e placas gráficas) foi comprada e absorvida pela AMD (fabricante de microprocessadores). Assim, atualmente, as placas que levam o rótulo “ATI” são, na verdade, da AMD. Esta última deve substituir definitivamente a marcar ATI pela sua nos próximos anos.

Chip gráfico (“GPU”)

O cérebro de uma placa de vídeo é o chip gráfico, também chamado de GPU, abreviação dos termos em inglês Graphics Processing Unit (unidade de processamento gráfico). É neste componente que se resume as tecnologias da ATI (AMD), Nvidia e Intel. É o GPU que determina os recursos do vídeo, e seus nomes parecerão confusos e não intuitivos se você não estiver seguindo este mercado de perto. Uma boa dica é que, em geral, quanto mais alto for o número que faz parte do código do GPU, mais recente e poderoso ele provavelmente deve ser. Por exemplo, na atual série 5000 da AMD, o modelo topo de linha (e mais caro) é o ATI Radeon HD 5970. Se você deseja algo mais barato e menos poderoso pode ficar com os modelos 5870, 5850 ou, ainda, uma 5770. De maneira similar, a Nvidia fica com os modelos GeForce GTX 480, GTX 470, GTX 465 e GTX 460 para oferecer menos performance e menores preços. Nas placas da Nvidia as letras do código também informam algo: as placas GTX são para os jogadores, os modelos GTS são mais de uso geral e a linha GT vai para as aplicações econômicas.

Clock e Memória

As placas de vídeo seguem aproximadamente as mesmas regras que valem para os processadores, inclusive as que se referem aos clocks e aos tipos das memórias. As placas de vídeo têm suas próprias especificações, claro, mas os efeitos específicos são diferentes de quando se está comprando o processador principal do computador. Duas placas de vídeo do mesmo tipo podem ter quantidades diferentes de memória como, por exemplo, a GTX 460 que é encontrada tanto com 768MB como com 1GB e, logicamente, o modelo com mais memória tende a ser mais rápida e custar mais caro. Da mesma forma, algumas placas podem usar memórias do tipo GDDR5, que é mais rápida e cara do que as memórias do tipo DDR3 e GDDR3 que outras placas usam. A AMD oferece sua série média 5500 com os dois tipos de memória, DDR3 e GDDR5. Algumas séries de modelos precisam apelar para um clock maior no processador gráfico para compensar o poder que perdem em outras áreas, como memórias mais lentas, mas isto em geral não vai representar mais velocidade em aplicativos comuns. Você só deve prestar muita atenção nestes detalhes se souber o que está olhando e estiver atento a alguma performance específica, por exemplo, para determinado jogo. Na maioria dos casos, o nome do processador gráfico (GPU) vai dizer-lhe praticamente tudo o que você, usuário normal, precisa saber sobre a performance de determinado modelo.

Comprimento físico da placa

No passado os gabinetes dos computadores eram grandes e arejados, mas hoje em dia já uma grande gama de tamanhos e tipos. Assim, não é qualquer placa de vídeo que servirá em qualquer gabinete, isto precisa ser analisado. Quando mais poderosa for uma placa de vídeo, mais longa fisicamente ela tende a ser e menos provável será que ela vá caber num gabinete Micro ATX ou num gabinete ATX dos menores. A placa ATI Radeon HD 5970 é, atualmente, a maior placa que conhecemos, com 11,5 polegadas (29cm) e os outros modelos avançados tanto da AMD quanto da Nvidia chegam a alguns centímetros disto também. Assim, se você está montando um computador pequeno, ou se deseja melhorar o vídeo num micro que você já tem, tenha cuidado ao escolher o modelo da placa de vídeo, veja se ela vai caber fisicamente no lugar a ela destinado.

DirectX

As placas de vídeo suportam diferentes versões da coleção do recurso DirectX da Microsoft, que é uma interface de programação (API) muito utilizada pelos games e outros programas avançados, por permitir acesso direto do programa ao hardware, sem a mediação do Windows, com o intuito de acelerar as respostas. Os detalhes específicos vão depender da versão de Windows em uso e do(s) jogo(s) a serem executados. De modo geral, quanto maior a versão do DirectX suportada melhor e mais recente será o adaptador de vídeo e mais rápida, detalhada e realista será a imagem mostrada. A versão atual do DirectX é a 11 (DirectX 11 ou DX11) e é suportada por todos os modelos atuais de chips da AMD e Nvidia. Placas compatíveis com DX são também capazes de rodar todos os recursos disponíveis nos jogos para DX10 e DX9, mas o inverso não é verdadeiro: placas feitas para DX9 ou DX10 não conseguirão acessar todos os efeitos dos jogos feitos para DX11.

Portas de saída e conexões

A maneira de conectar o monitor à saída de vídeo no computador está mudando. A mais comum aqui no Brasil é o conector VGA, aquele azul, que aos poucos vai sendo substituído pela porta DVI (Digital Video Interface), um plug em forma de trapézio geralmente na cor branca. Todas as placas de vídeo off-board atuais oferecem pelo menos uma porta DVI, algumas têm mais de um e outras tem o DVI e também o VGA. É bom ter mais de uma saída de vídeo, porque pode-se ligar mais de um monitor ampliando-se assim a área de trabalho, usando um recurso nativo do Windows. Existem também as saídas chamadas HDMI ou mini-HDMI, para dar saída de vídeo em dispositivos como uma TV de alta definição ou dispositivos similares. Existe um novo padrão de conexão chegando, chamado DisplayPort. Ele promete oferecer resoluções maiores do que os 2560 por 1600 pixels oferecidos pelo DVI, e também haverá uma versão chamada de mini-DisplayPort, que será bem menor.

Conectores extras de força

Placas de vídeo poderosas são coisa séria. Se você pegar uma desta e simplesmente ligá-la no slot PCI-E pode não ser o suficiente para que ela funcione. A maioria das placas de boa performance precisam de alimentação extra de energia, mais do que o barramento PCI-E é capaz de fornecer, por isto é que as fontes de alimentação oferecem conectores extras, justamente para conectar direto nas placas de vídeo. Existem placas que precisam de 1 e de 2 destes plugues, de 6 ou de 8 pinos internamente. Se estes cabos não forem conectados corretamente o computador não vai inicializar. Além dos conectores, é preciso saber se a fonte de alimentação do PC consegue oferecer a quantidade de energia consumida pela placa de vídeo, que pode ser maior do o que o restante do micro como um todo vai consumir.

Consumo de energia (“TDP”)

Em nenhum outro componente dos computadores a especificação TDP (Thermal Design Power) é tão importante como nas placas de vídeo, e os modelos topo de linha consomem realmente muita energia. Por exemplo, a ATI Radeon HD 5970, com seu GPU duplo, precisa de 300 Watt, e a Nvidia GeForce GTX 480 consome nada menos que 250 Watt. Uma matemática básica vai demonstrar que só isto já levará a maior parte das fontes de alimentação ao seu limite, sem considerar o restante do micro. Por isso é que, ao fazer um upgrade ou montagem de um micro, considere se a fonte de alimentação existente ou planejada vai conseguir dar conta do recado, isto é, alimentar tanto a placa de vídeo quanto o restante do computador. Lembre-se que fontes genéricas de 400 ou 500 Watt simplesmente não têm toda esta potência, é preciso bastar um bom dinheiro comprando fontes de boa qualidade e com potência “real”.

Placas de vídeo múltiplas

Se a placa-mãe do micro reconhece mais de uma placa de vídeo, e se ela tiver mais de um slot PCI-E x16, então este micro provavelmente permite que se adicione uma segunda, terceira ou até quarta placa de vídeo, o que permitirá performance e recursos fantásticos, desde que a fonte de alimentação do micro aguente tudo isto, claro. Tanto AMD copmo Nvidia oferecem cada uma tecnologia para usar duas ou mais placas de vídeo, de forma que o computador as reconheça como sendo uma solução poderosa para a saída de vídeo. A tecnologia da AMD é chamada de CrossFireX e a da Nvidia's é chamada de Scalable Link Interface (SLI). Na maior parte das placas-mão ofertadas, não é possível misturar placas de vídeo à vontade, principalmetne se elas não tiverem exatamente o mesmo chip gráfico (GPU).

Recursos especiais

A concorrência entre AMD e Nvidia é acirrada, e o que acaba diferenciando uma da outra são os pequenos detalhes. No último ano (2009) a AMD ficou famosa pela sua tecnologia Eyefinity, que simplifica o processo de configurar e usar até seis monitores a partir de uma única placa de vídeo, permitindo que se crie facilmente uma parede digital de imagens. A Nvidia também oferece um recurso parecido, chamado de Nvidia Surround, mas a empresa acabou mais conhecida pelo seu uso do PhysX, uma tecnologia adquirida há alguns anos que facilita a representação realística dos objetos no vídeo, e o 3D Vision, que permite rodar os games num tipo especial de 3D, desde que se tenha um hardware apropriado (um monitor especial capaz de rodar a 120 Hz e o kit 3D Vision da Nvidia). Todas estas tecnologias não são baratas: para controlar vários monitores, renderizar animações complexas em 3D e fazer apresentações realísticas requerem muitos pixels, o que pode tornar o vídeo muito, muito lento.

Estes recursos todos são fantásticos, mas não são práticos nem acessíveis para o uso normal que a maior parte dos usuários faz de seus computadores com uma única placa de vídeo, por melhor que ela seja. A boa nova é que mesmo uma placa de vídeo atual de média potência vai oferecer performance aceitável mesmo para os jogos mais complexos. Até quando? Bem, até daqui a algum tempo. Depois disto, você terá que trocar o micro, comprar outra placa de vídeo e assim por diante. E assim caminha a humanidade...

Publicado em 20/10/2010 às 00:00 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

NOSSOS LEITORES JÁ FIZERAM 1 COMENTÁRIO sobre este artigo:
De: shurek (em 02/01/2011 às 23:42 hs)
O mais importante é!!!!
Verificar suas instalações, aterramento, estabilizador(ou melhor no break) e só aí pensar em comprar a placa, pôs se tudo isso não estiver ok certamente sua placa não durará seis meses (lembrando que as garantias são de três meses). As placas de vídeo são bem mais frágeis do que o resto do PC,não se esqueça da proteção de tela que deve sempre está ativada para poucos minutos. Usar altas resoluções é maravilhoso mais é overclock e força bastante, por isso compre placas potentes para usar altas resoluções. Não deixe seu pc em lugar abafado pois alta temperatura não combina com placa de video!!! Bons jogos, gamemaníacos!!!

Comente você também:

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 49 ARTIGOS SOBRE HERICK ESTEVES LOUREIRO:
O firmware do sistema não preserva o mapa de memória quando o PC entra em hibernação
Seria possível ter virtualização via hardware num notebook?
Como e porque a Apple torna seus produtos caros e difíceis de reparar. O que significa para nós, técnicos e consumidores?
Desempenho de vídeo onboard das placas-mãe socket 1155 e 1366 é melhor do que placas off-board?
Manutenção de computadores all-in-one: fácil ou difícil?
Não encontra driver de áudio para placa-mãe ASUS antiga. E agora?
Micro com Athlon fica esquentando e reinicializa
Substituição de cooler de notebook Positivo SIM+ é difícil?
HDs da Seagate fazendo barulho. Precisa trocar?
Notebook com 6 GB só aparece com 2 GB no Windows Ultimate 64 bits
Smart apresentou mensagem de erro. Devo substituir o HD?
Dúvidas em relação a upgrade de notebook HP
O que fazer quando bateria de um notebook se esgota?
Notebook com processador Core i7 é bom? Porque micro CCE é tão barato?
Seria preciso atualizar o BIOS até mesmo antes de montar o processador na placa-mãe?
Quanto um processador de 2 núcleos é mais rápido que outro de apenas 1 núcleo?
Dados do HD ficaram corrompidos. E agora?
Quais são as tensões mínimas e máximas para ligar um computador?
Os computadores no formato tablet vão matar os netbooks? Acho que não...
É fácil instalar o Windows num micro da Apple?
Upgrade de processador requer também a troca da placa-mãe?
Notebook não volta a funcionar depois que entra em hibernação
Imagem aparece borrada em monitor ou TV LCD usada como monitor de micro
Como saber se uma placa-mãe (motherboard) está mesmo queimada?
Prós e contras dos computadores no formato “tablet” (igual ao iPad da Apple)
Qual é mais rápido, notebook ou micro desktop ?
Notebook ou micro desktop PC, qual é o melhor para comprar?
Porque os HDs de 2 TB (ou mais) não são reconhecidos? Qual é o problema com eles?
A questão do consumo de energia dos computadores e monitores
Quando, porque e como atualizar o BIOS do computador?
Tela de notebook não liga, mas LED e botão liga-desliga estão acendendo
Tem como trocar a placa de vídeo de um notebook para rodar melhor os jogos?
Qual a melhor interface para HD externo? USB, Firewire ou e-SATA?
Pode um aparelho “módulo isolador” substituir o fio terra nos computadores?
Erro de “DVD protegido” ao importar filme gerado pelo Pinnacle Studio
Os problemas dos pendrives: perda de dados e falsificação
Tela de notebook não liga, mas LED e botão liga-desliga estão acendendo
Plugues e tomadas terão novo padrão a partir de 2010
Drives COMBO dão mesmo muito problema? Ou será lenda?
Qual a diferença entre “Dual Core” e “Core 2 Duo”
Ao ligar micro ele desliga, fica alguns segundos parado e depois liga novamente
Mentiras e verdades sobre as baterias dos notebooks e celulares
Dispositivos USB não são detectados ou param de funcionar
Qual é a diferença entre Cluster e RAID ?
Google revela os segredos do hardware dos seus servidores
PC trava ao salvar arquivos
Nova linha da Intel baeada no núcleo “Nehalem” será denominada Core i7
ASUS revela linha de computadores-conceito feitos de bambu
Qual é a placa-mãe dos micros HP Pavillion ?
Lavar as mãos ou tocar no gabinete elimina eletricidade estática nos micros?

 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da informática e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: leitor@revistapnp.com.br
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.