[Revista PnP] Comprar roteador pronto ou fazer você mesmo? 
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco

Home   Edições impressas  
Edições digitais   CDs e DVDs  
Dicas técnicas   Como comprar  
Quer colaborar?   Sugira uma matéria  
Boletins   Como é feita a Revista PnP?  
Fale conosco   Serviços ao cliente  
Erratas   Sobre a Revista PnP...  
Perguntas mais frequentes (FAQ)  
Cursos e eventos  
Google

Você está aqui: Home » Artigos sobre Redes Locais
Artigo (veja mais 82 artigos nesta área)

Comprar roteador pronto ou fazer você mesmo?

Por Iberê M. Campos equipe


Os roteadores nunca foram tão baratos. Com fio ou sem fio, sempre existe um modelo que cabe no bolso de todo mundo. Mas será que estes modelos populares realmente são bons? Não estaríamos sacrificando a segurança e recursos? Não seria melhor construir nossos próprios roteadores?

Os roteadores fazem parte das redes desde os primórdios do protocolo TCP/IP. Foram eles que possibilitaram o aparecimento da internet e também das modernas redes locais. Estes aparelhos já foram sinônimo de modernidade e só os técnicos de redes sabiam o que eram e para o que serviam, mas hoje em dia, com a proliferação da internet em banda larga, qualquer garoto em idade escolar já sabe que um roteador é necessário para compartilhar a conexão de internet com dois ou mais computadores.

Certo, esta é a função mais comum dos roteadores, mas eles também estão associados a muitas outras funções especializadas como firewall, proteção antivírus, servidor DHCP (para atribuir os endereços IP para as estações), criação de sub-redes, restrição ou permissão de acesso à internet para cada estação e também ao controle do quanto da banda de internet será distribuída a cada estação da rede local, sem falar do bloqueio de sites e ações indesejáveis, serviço muito requisitado atualmente nas empresas, que querem bloquear os sites e serviços que seus funcionários acessam pela internet e que nada tenham a ver com o serviço.

Os puristas poderiam argumentar que todas estas funções não fazem parte necessariamente do roteador, mas acontece que este aparelho fica num ponto estratégico, entre a rede local e o “mundo selvagem” da internet, com milhões de hackers querendo roubas senhas e invadir sistemas. Por esta posição estratégica, os mesmos aparelhos que fazem o roteamento acabam também cuidando da segurança da rede local e do controle do que pode ou não passar de quem e para quem.
(acima)Roteador comercial típico, barato e eficiente. Mas em geral pode ser substituído com vantagens por um roteador “feito em casa” (clique para ampliar).




Tipos de roteadores

Um roteador é, antes de mais nada, um computador. Tem processador, memória e área de armazenagem, igualzinho a um microcomputador qualquer. Com o intuito de baratear o produto e facilitar para o usuário, os fabricantes de equipamentos de rede montam todos os circuitos necessários em algumas poucas pastilhas de silício (“chips”) que contêm o hardware e o software necessário para fazer o roteamento. De quebra, embutem serviços como firewall, servidor DHCP e outros.

Com esta miniaturização toda, os roteador pequenos e baratos até que fazem muito pelo que custam, mas atendem apenas a pequenas instalações domésticas de microempresas. Quem precisa de algo a mais precisa recorrer aos aparelhos melhores e que custam bem mais caro. Enquanto que um roteador doméstico custa, digamos, R$ 150, outro modelo com mais recursos ultrapassa facilmente a casa dos R$ 1.500. É o preço que se paga por ter mais segurança e recursos de configuração.

Mas ocorre que, nesta faixa de preço, torna-se mais vantajoso pegar um micro que esteja encostado e transformá-lo em roteador. Naturalmente, é preciso ter mais conhecimento técnico, mas nada que fuja ao alcance de um estudante ou usuário avançado de informática.

O sistema operacional mais utilizado nos roteadores é o Linux. Claro que se pode também utilizar o Windows Server ou até mesmo o Windows XP ou Vista, mas é um desperdício gastar tanto dinheiro e consumo de recursos do hardware num micro que ficará lá num canto, ligado apenas para conectar a rede local à internet. O Linux é utilizado desde seu início nas funções de roteamento, hoje em dia tanto os grandes servidores de internet, que interligam países e continentes, quanto modestos roteadores domésticos funcionam com variações do Unix ou do Linux, em distribuições Linux especializadas que podem ser usadas gratuitamente e, importante, perfeitamente dentro da lei.

Os roteadores comerciais nada mais fazem do que colocar estas distribuições Linux dentro de um chip, logicamente trocando os logotipos e o jeitão do software, mas no fundo é o Linux que está movendo a esmagadora maioria dos roteadores que você encontra à venda.

E aí é que nos perguntamos: se é para utilizar um software assim, preso dentro de um chip, porque não criar nosso próprio roteador, com uma distribuição escolhida a dedo e configurada nos mínimos detalhes para atender exatamente às nossas necessidades?

Customizar ou não customizar o roteador

Se o que você precisa é apenas compartilhar uma conexão de internet entre alguns poucos micros, igualmente e sem diferenciação alguma entre eles, então não há muito o que pensar: compre um destes roteadores básicos e baratinhos e pronto. De quebra, poderá até escolher um modelo wireless (“wi-fi” ou “sem-fio”) mesmo que ainda não tenha um notebook ou computador com este tipo de conexão. Afinal, a diferença de preço entre um roteador com e sem fio é mínima, coisa de 40 ou 50 reais atualmente.

Entretanto, se você precisa de recursos mais avançados como controle de banda entre as estações, firewall mais potente e restrição de acesso por máquina, por usuário ou por horário, então provavelmente você já deve considerar seriamente a possibilidade de montar seu próprio roteador.

O Windows tem esta função, mas não tem tantos recursos e não é tão fácil de configurar quanto o Linux e, como já dissemos, ninguém deseja ficar ilegal e também não quer gastar os tubos para comprar um Windows oficial para ficar parado lá num canto qualquer de sua casa ou escritório. Assim, a opção óbvia é adotar o Linux para esta função.

Qualquer distribuição Linux moderna, como o Ubuntu, Conectiva, Red Hat e Mandriva, já oferecem a configuração automática do serviço de roteamento. Basta ter um micro com duas placas de rede, sendo que uma delas fica para a conexão de banda larga e a outra liga a rede local. O roteamento feito com Linux é que vai distribuir o sinal de internet para todas as estações da rede local.
(acima)Tela de configuração do FireStarter, prático firewall para Linux que, além de cuidar da segurança da rede contra invasões, também faz a distribuição do sinal de internet para a rede local (clique para ampliar).


Este é um arranjo simples e que funciona muito bem, com a vantagem de que você pode começar a estudar o sistema de roteamento do Linux e aprender a fazer suas próprias configurações, seja editando diretamente os arquivos que armazenam os parâmetros, seja utilizando algum software auxiliar para esta finalidade, como o FWBuilder, Showall, FireHOL, GuardDog e Firestarter. Este último, em especial, é o gerenciador de firewall padrão do popular Ubuntu Linux (vide ao lado).

Quem não deseja aprofundar-se no mundo do Linux pode usar as mini-distribuições especializadas em compartilhamento de internet e firewall. Elas são pequenas, leves e feitas especialmente para esta finalidade. Respondendo a algumas poucas perguntas você terá sua conexão devidamente compartilhada e com aquela segurança típica do Linux. Nada de vírus, worms e spywares atacando o sistema operacional, pois o roteador conterá apenas e tão somente o software necessário.

Roteadores baratos versus BrazilFW

O BrazilFW já foi citado diversas vezes na Revista PnP e, em especial, na Revista PnP nº 5 temos um artigo completo mostrando passo-a-passo como montar um excelente roteador com base no BrazilFW utilizando micros tão antigos quanto os primeiros Pentium. Claro que estes micros são até raros atualmente, quase 20 anos depois de seu lançamento, mas você poderia empregar, digamos, um micro com processador K6-2 ou K6-3, um dos primeiros Athlon ou Duron ou até mesmo algum Intel Celeron ou Pentium 3. O importante é o micro estar funcionando direitinho, com seu hardware em ordem, sem oxidações ou capacitores estourados. É preciso ter um disquete (“floppy disk”) de 1.44 e, se isto for difícil, é possível utilizar um leitor de CDs para substituir o disquete.

Pois bem, tendo o hardware pronto, você vai precisar de um outro micro com Windows e uma conexão à internet. Aí, é só baixar o instalador do BrazilFW no site do projeto, em www.brazilfw.com.br. Este instalador roda em Windows e vai gerar o disquete ou CD de boot, com ou sem previsão de instalação no disco rígido do micro que fará o roteamento. Você responde a meia dúzia de perguntas e pronto, sua mídia de boot estará pronta para uso e seu novo roteador poderá começar a trabalhar.

Estas mini-distribuições Linux como o BrazilFw são bem práticas mas, para aqueles que já conhecem melhor o Linux, o ideal mesmo é instalar uma distribuição completa, como as já citadas Mandriva ou Ubuntu, por exemplo, e configurar mais detalhadamente os serviços de roteamento.

Seja como for, mini-distribuição ou distribuição Linux completa, seja com o próprio Windows, o importante é que o técnico de informática saiba que é possível e desejável livrar-se dos roteadores domésticos baratinhos e, geralmente, de qualidade sofrível que invadiram o mercado e que viraram sinônimo de “compartilhamento de internet”. Em muitos casos é melhor construir um roteador completo e ganhar mais recursos, versatilidade e segurança.

Publicado em 15/07/2009 às 00:00 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 82 ARTIGOS SOBRE REDES LOCAIS:
Micro tem 16 GB de memória RAM mas mesmo assim está lento
Como montar duas redes separadas que acessem um mesmo servidor e a mesma conexão de internet?
Qual a maneira mais simples de ter acesso a arquivos de um computador que fica em outro local?
RAID via software no Windows fica melhor com overclock ou underclock?
Rede wireless instável. Será culpa do roteador ou da concessionária de banda larga?
Rede wireless não conecta no cliente, mas funciona normal na oficina
Notebook não entra em outra rede wireless que não aquela onde ele foi configurado
Pode ter mais de um servidor DHCP na mesma rede?
Instalação de rede em residência com vários computadores, qual é a melhor solução?
Cliente fica trocando o cabo dos micros e a internet pára. Mas será que é isso mesmo?
Dúvidas na instalação de roteador em conexão de internet via rádio da Neovia
Rede com roteadores D-link e Linksys interligados perde conexão
Internet de rede wireless com roteador D-link e Speedy fica caindo o tempo todo
Dúvidas comuns em relação às redes Windows: compartilhamento, direitos de acesso e outros
Notebook Itautec não consegue entrar na rede wireless
Trocou roteador por outro wireless e agora não consegue compartilhar a impressora
Um determinado notebook não entra na rede wireless, sendo que os demais funcionam normalmente
Conexão de internet fica caindo a toda hora numa conexão compartilhada com ICS
Cabo muito longo ou deteriorado pode causar perda de conexão na rede local. Mas como saber?
Modem de banda larga: é melhor comprar ou alugar da concessionária?
Restringindo o acesso a internet para certas estações da rede
Acabando com o limite de 10 usuários simultâneos na rede do Windows XP
Transformar smartphone ou notebook com 3G num Hot Spot (roteador wireless)
10 dicas para melhorar o sinal e o alcance de uma rede wireless
Será que o roteador BrazilFW é seguro contra as invasões?
Socorro, os arquivos do meu micro estão aparecendo para todos na internet!
Controle de banda de internet para os usuários em conexão compartilhada
Micros ficam o tempo todo saindo da rede
Problema na lan house: alguém está roubando as senhas do Orkut e MSN
Como compartilhar conexão de internet 3G via modem USB ?
Interligar lugares distantes: melhor usar VPN ou Wi-Fi ?
Como interligar pela rede wireless dois micros distantes 80 metros
É possível restringir o acesso a MSN, Orkut e Youtube?
Roteador Linux BrazilFW versus Mikrotik. Qual é o melhor?
Lan house: melhor usar conexão PPPoE ou IP Fixo?
Como conectar os micros da rede local à internet?
Conexão de Internet via rádio em condomínio pode ser roteada?
Servidor não acessa a Internet através de um roteador D-Link
Rede parou de funcionar ao trocar Hub de 10 Mbps por Switch de 100 Mbps
Qual é o melhor cabo para rede local, CAT5 ou CAT6? Como escolher?
Como interligar dois micros distantes com uma rede wireless
Aprovada distribuição de internet e TV por assinatura pela rede de energia elétrica
Será possível montar uma rede na rua, entre vizinhos?
Pontos importantes para comprar um roteador wireless
O que são as portas WAN e Uplink e para que elas servem
Qual é a diferença entre hub, switch, roteador e access point?
9 motivos porque as redes wireless apresentam problemas
Quais são as vantagens e desvantagens das redes Wi-Fi (wireless)?
Rede Novell é boa ou ruim? Seria uma boa oportunidade de carreira?
Será que colocando um switch melhor a internet ficará mais rápida?
É possível ter dois gateways com o “Compatilhamento de internet” (ICS) do Windows?
Software gratuito para substituir o compartilhamento de internet do Windows (ICS)
Micro conecta na internet, mas não consegue navegar
Porque o acesso a internet inibe a rede local ?
Porque uma banda larga de 256 Kbps tem apenas 32 KBps ?
Como testar o funcionamento de uma rede?
Como desabilitar o login e senha da rede Microsoft
Desabilite as pastas ZIP do WinXP
Arquivo de resposta do Windows XP
Sumiu a opção de Arquivo>Novo>Pasta no Windows Explorer
Windows XP desliga sozinho quando conecta na Internet
Windows XP fica reiniciando direto
RAID no Windows 2003
XP desliga sozinho quando se conecta na Internet
Estação ME não enxerga servidor com Windows XP
Porque não tem o MSCONFIG no 2000? Será que dá para colocar?
Usuários da rede não conseguem fazer logon e enxergar os recursos compartilhados no Windows XP
Como adicionar mais uma placa de rede no NT4
Cuidado! Windows NT é exigente com as memórias RAM
Windows 2000 e programas DOS
Instalacao do Windows NT é dificil
O que é um produto OEM ?
Como melhorar o desempenho do Windows NT 4 Server
CD-KEY na instalação automática do Windows 2000
Como gravar CDs e DVDs a partir da imagem ISO
Exibição automática de unidades de rede no XP
Problemas no desligamento do Windows 98
Como conectar um Macintosh numa rede com micros Windows?
Procedimentos errados no cabeamento de rede com par trançado
Roteador BrazilFW Linux interfere na rede interna?
Porque que a velocidade da banda larga não chega ao que nos prometem?
O que é preciso para montar uma rede caseira com dois micros?

 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da informática e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: leitor@revistapnp.com.br
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.