[Revista PnP] Lançado o Ubuntu 9.04 “Jaunty Jackalope” 
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco

Home   Edições impressas  
Edições digitais   CDs e DVDs  
Dicas técnicas   Como comprar  
Quer colaborar?   Sugira uma matéria  
Boletins   Como é feita a Revista PnP?  
Fale conosco   Serviços ao cliente  
Erratas   Sobre a Revista PnP...  
Perguntas mais frequentes (FAQ)  
Google

Você está aqui: Home » Artigos sobre Linux
Artigo (veja mais 18 artigos nesta área)

Lançado o Ubuntu 9.04 “Jaunty Jackalope”


A nova versão do Ubuntu, como sempre lançada rigorosamente dentro do prazo, traz como principais melhorias o menor tempo de inicialização, melhores aplicativos e um visual renovado e bem mais agradável.

Seguindo a tradição de dar nomes de animais às suas versões, o novo Ubuntu foi apelidado de “Jaunty Jackalope”, algo como “jacalope desenvolto” (fala-se algo como "djé-unti djé-calôupe"). O termo inglês “jackalope” refere-se a um animal lendário, cruzamento entre lebre e antílope, que viveria na Califórnia e que normalmente é retratado como um coelho com chifres. Certamente a idéia por trás da escolha deste animal foi enfatizar o fato da nova versão ser rápida.

Também seguindo a tradição do Ubuntu, foram lançadas versões para desktop e servidor, além de uma terceira denominada “Netbook Remix”. Esta última versão foi feita especialmente para netbooks. Roda nos aparelhos portáteis mais populares, como o Acer Aspire One, Asus eee PC 1000 e Dell Mini 9. Além do melhor desempenho, comum às demais versões 9.04, a versão para netbooks tem uma interface redesenhada para facilitar o lançamento dos aplicativos e acesso aos arquivos, em especial para utilizar serviços on-line. Visando a portabilidade, a nova versão permite também fácil mudança entre redes e fácil instalação até mesmo num drive USB.

Rapidez e novo visual são as principais mudanças

A versão 9.04 Desktop Edition trouxe diversas melhorias para melhorar a experiência do usuário. Menores tempos de inicialização (cerca de 25 segundos, nos melhores casos) asseguram acesso rápido a um ambiente de trabalho completo na maioria dos modelos de micros de mesa ou portáteis. Uma novidade também é o recursos de suspender-e-retornar ao funcionamento, com acesso imediato após uma hibernação. Uma novidade bem vinda para os usuários de aparelhos portáteis é o acesso fácil a redes Wi-Fi (wireless) e 3G, com suporte a mais dispositivos de hardware e placas 3G.

Na parte dos aplicativos, o Ubuntu 9.04 vem com o OpenOffice 3, totalmente compatível com o MS-Office. Também vem com suporte nativo ao Skype, MP3 e Flash. Traz também um sistema de notificação integrada, que combina os métodos de notificação de diversos aplicativos apresentando as informações numa maneira padronizada e não-invasiva. Os ícones e as telas de fundo foram redesenhadas por uma nova equipe de designers, contratados especificamente para cuidar da parte visual do sistema.

Uma boa notícia, também, é a inclusão dos drivers para placas de vídeo da Nvidia, um dos pontos fracos das versões anteriores. Não é que as placas deste fabricantes não funcionassem, mas não atingiam todo seu potencial, como acontece com os drivers para Windows. Agora este problema foi resolvido, e a maioria das placas Nvidia funcionam nativamente no Ubuntu, com efeitos visuais inclusive em 3D.

O Ubuntu 9.04 está disponível para várias plataformas de hardware como o PC padrão (i386), micros de 64-Bits e MacIntosh com chips Intel. É necessário ter ao menos 256 MB de memória RAM para rodar o CD de instalação “alternativa” (alternate), e pelo menos 384MB de memória para usar o instalador com LiveCD, além de pelo menos 4 GB de espaço livre no disco rígido. Depois de instalada a versão “alternate” é igual à versão desktop, mas seu Cd de instalação foi projetado para computadores incapazes de rodar o ambiente gráfico da versão Desktop normal, seja porque seu hardware não atinge os requisitos mínimos ou porque a têm menos de 384 MB de memória RAM.

O que falta para o Ubuntu ser usado em larga escala?

Sendo absolutamente gratuito e trazendo tantas vantagens, muita gente fica se perguntando porque o Ubuntu (e o Linux, em geral) ainda não caíram no gosto popular e começaram a ser utilizados em larga escala.

Existem vários motivos mas podemos resumir assim: desconhecimento, inércia, falta de alguns aplicativos e aumento da venda dos micros “de marca”. Analisemos:
  • Desconhecimento – Apesar de toda a divulgação que vem sendo feita na mídia especializada, inclusive na Revista PnP, muita gente ainda desconhece o que o Linux e, em especial, o Ubuntu pode lhes oferecer por um preço bem favorável – zero. A grande maioria dos usuários utiliza seus computadores para acessar a internet, utilizar uma suíte de escritório, e rodar programas de mensagem instantânea enquanto escutam música ou assistem a um DVD. Para isto o Ubuntu é mais do que suficiente, vai atender perfeitamente e com muita segurança e bom desempenho.
  • Inércia – Para muita gente “microcomputador” sem Windows e Office não é digno do nome, parece que “falta algo”. Este tipo de usuário realmente merece pagar mais caro para ter seu micro com Windows, porque tem preguiça de ver e aprender as alternativas, mas é dever de todos nós, técnicos, alertar para o fato de que muita coisa pode ser feita de graça usando o Linux e demais softwares livres.
  • Falta de alguns aplicativos – Quem utiliza microcomputadores profissionalmente e precisa de algo mais que uma suíte de escritório (leia-se “MS_Office”) fatalmente deve estar usando alguma coisa da Adobe ou da Corel. A Adobe, em especial, monopolizou o mercado com aplicativos de peso e indispensáveis como Photoshop. Flash, Dreamweaver e Acrobat. Infelizmente, até o momento, estes programas só rodam no Windows no MacIntosh (MacOS). Existe até um murmúrio na comunidade técnica querendo saber que “vantagens” a Adobe deve estar levando por parte da Microsoft e da Apple para NÃO distribuir seus aplicativos também para o Linux. Seria muito fácil para a empresa, afinal, o MacOS e o Linux são primos e utilizam núcleos muito parecidos, e os programas da empresa já são feitos para serem compilados para várias plataformas. Quem pode distribuir o mesmo aplicativo para sistemas operacionais tão diferentes quanto Windows e MacOS não teria dificuldade alguma em fornecê-los também para Linux, mas a Adobe ignora sumariamente o Linux, é como se ele não existisse. Porque será que isto não vem acontecendo?
  • Aumento da venda dos micros “de marca” – Já se foi o tempo em que a maioria dos computadores em uso eram montados por alguma pequena fábrica ou técnico independente. Hoje em dia a maior parte dos computadores novos é vendida no varejo, através da internet ou dos grandes magazines e supermercados. Note-se também a grande participação dos micros portáteis, em diversos tamanhos e configurações. Em comum, todas estas máquinas já vêm com sistema operacional que, em geral, é o Windows XP ou Vista. Apenas uma pequena parte vem com Linux. Isto deveria mudar, deixando ao encargo do usuário escolher qual sistema operacional gostaria de usar ou, ao menos, deixar que ele escolhesse entre Windows e Ubuntu. Infelizmente, as regras do jogo empresarial são pesadas e inflexíveis, e a Microsoft nunca se negou a utilizar todo seu poderio para “convencer” os fabricantes de computadores a vender micros exclusivamente com Windows. Só algumas marcas de peso têm força suficiente para resistir às pressões e oferecer micros também com Linux, entre elas podemos citar Dell, HP e algumas marcas nacionais como a Itautec.

Em resumo...

O novo Ubuntu está aí, pronto para o combate, e demonstra mais uma vez a vitalidade do Linux e da Canonical, a empresa que está por trás do Ubuntu e que não mede esforços para fazer o que for preciso para cumprir sua meta de levar o Linux a todos os cantos do mundo, de graça e com toda a modernidade possível e desejável.

Quem quiser experimentar pode conseguir o Ubuntu 9.04 de diversas maneiras:
  • Baixando direto do site da organização, em www.ubuntu.com/download, ou então
  • Encomendando um CD igualmente no site da organização, em https://shipit.ubuntu.com. Este Cd é entregue em sua casa, sem custo algum, mas demora entre 20 a 30 dias.
  • Adquirindo seu CD já pré-gravado de organizações que fazem este serviço. No site da Thecnica Sistemas, por exemplo, você pode encomendar as versões Desktop e Server de diversas versões de Ubuntu, por um preço convidativo pois não visamos lucro com isto, apenas cobrir as despesas de gravação, embalagem e correio. Para facilitar, aqui vão os links para você encomendar sua cópia:
    Ubuntu 9.04 Desktop LiveCD 32 bits
    Ubuntu 9.04 Server 32 bits


Publicado em 27/04/2009 às 00:00 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

NOSSOS LEITORES JÁ FIZERAM 2 COMENTÁRIOS sobre este artigo:
De: Foxx (em 28/04/2009 às 12:15 hs)
Abaixo a Microsoft
A M$ usa métodos sujos pra combater a concorrência, em todos os meios que ela atua, e sempre foi assim, desde que Bill Gates criou a M$, roubando e copiando idéias de outros (Steve Jobs) e trazendo para o wWndows. Não fosse isso o Linux, especialmente o Ubuntu, já teria deixado para trás esse sistema da M$ que só serve pra pegar vírus e dar bug.
De: aguina (em 22/08/2009 às 11:55 hs)
Agradecimento pela ajuda
Sou quase um leigo em informática. O pouco que aprendi foi através um colega que me da algumas dicas e principalmente de revista como a PnP. Não tenho muito o que falar, mas o pouco que quero dizer é que vale cada investimento feito nesta revista. Grato.

Comente você também:

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 18 ARTIGOS SOBRE AGUINALDO BARBOSA:
Conheça o Goobuntu, o desktop Ubuntu Linux usado internamente pelo Google
Não consegue fazer backup dos emails do Outlook 2007, recebe mensagem de que o arquivo está corrompido
Como reformatar tablet ou smartphone com Android?
Emulador Wine de Windows para Linux
Instalação de programas no Linux é diferente de como se faz no Windows
Os erros mais comuns dos novatos em Linux
Dual Boot com Windows 7 e Ubuntu
Problema: Ubuntu Linux não inicializa pelo LiveCD
Controlador de domínio com Linux. Será possível?
Configurar internet via radio no Ubuntu Linux
Problema ao instalar o Ubuntu 8.04 no Windows
Lançado o Ubuntu Linux 8.04 LTS Hardy Heron
Impressora matricial Epson LX300 não imprime em rede
Gravador de CDs não reconhece mídia de música com 80 minutos
Como adicionar uma segunda saída paralela de impressora (LPT2)
Modem para linha discada não funciona no XP
Falta de Aterramento dificultava funcionamento de modem comum para linha discada
Programa que resseta cartuchos de impresoras Epson
Problemas na segurança da rede de um condomínio. Todo mundo se enxerga!
Rede local fica lenta ao consultar dados usando um programa feito em COBOL

 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da informática e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: leitor@revistapnp.com.br
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.